Montaria da Serra de Bornes abre a época venatória do CMN

foto de capa

Um dia solarengo com uma paisagem de cortar a respiração, o reencontro de amigos e boa comida é assim que se caracteriza a Montaria da Serra de Bornes (Macedo de Cavaleiros) que iniciou a época venatória do Clube de Monteiros do Norte (CMN), no passado Sábado, dia 17 de Novembro de 2018.

A primeira montaria do CMN foi um sucesso e deixou todos os participantes satisfeitos.
90 portas numa mancha exigente mas com uma paisagem magnífica e monteada por 14 matilhas, onde se cobraram 16 javalis. Foi este o resultado desta montaria organizada em parceria com o CMN, Clube de Caçadores da Serra de Bornes, União de Freguesias de Bornes e Burga e Comissão de Festas de Bornes.
“A mancha da Burga bem cuidada, soalheira alternando entre fundos regatos de densa vegetação onde predomina o castanheiro-bravo e recortes mais abertos, permitiu contemplar a bela paisagem da Serra de Bornes, uma das mais bonitas da região de Trás-os-Montes. A mancha foi muito bem tratada e esta foi a sua melhor montaria de sempre, os participantes saíram muito satisfeitos”, refere o presidente do CMN, Nelson Cadavez, acrescentado que as montarias são muito mais do que o acto venatório “é todo o espírito que se vive no dia em que as pessoas convivem e desfrutam da natureza”.
“Não podemos deixar de agradecer a confiança que mais uma vez as entidades locais depositaram no CMN para num trabalho conjunto e determinado contra muitas adversidades termos proporcionado uma magnífica montaria tradicional transmontana”, afirma.
A honra de Director de Montaria coube ao ex-membro da direcção do CMN, Paulo Vilares a quem e ali, lhe foi prestada homenagem pelo mérito no desempenho das suas funções ao serviço do Clube.
O mata-bicho e o almoço foram servidos pela Comissão de Festas de Bornes com excelente qualidade, o que permitiu à mesma angariar fundos para a realização da sua festa anual.
Com o quadro de caça reunido e bem composto onde predominavam reses de bom porte, foram colocados os selos de marcação dos animais, um procedimento imposto pela nova Portaria nº 185/2018, de 26 de junho que determina a obrigatoriedade de selagem dos exemplares de espécies de caça maior abatida, através de selos (modelo exclusivo do ICNF) que atribui a cada animal um número sequencial.
Procedeu-se à recolha de amostras para despiste de Trichinella para posterior análise pelo Laboratório de Tecnologia, Qualidade e Segurança Alimentar da UTAD, cujo resultado foi NEGATIVO para todas as amostras.
O calendário de montarias do CMN 2018/2019 inclui ainda mais seis montarias. A próxima é já no dia 8 de Dezembro em Castelo Branco (Mogadouro), segue-se o 12º Encontro de Matilhas em Coriscada e Ervedosa (Mêda e Pinhel), no dia 23 de Dezembro. Em Janeiro, dia 19, realiza-se a Montaria de Mata de Lobos (Figueira de Castelo Rodrigo). Em Fevereiro, dia 9, acontece a Montaria de Felgueiras (Torre de Moncorvo) e no dia 23 e 24 chega o ponto alto da época: o 32º Encontro Venatório do CMN em Torre de Moncorvo.

Comentários