Mirandela acolheu o Jantar Anual de Entrega de Prémios CMN 2018

capa jantar premios 2018

O Clube de Monteiros do Norte (CMN) realizou, no passado Sábado, dia 30 de Junho, o Jantar Anual de Entrega de Prémios 2018 em Frechas, Mirandela, e reuniu cerca de 200 pessoas, entre elas várias crianças.

Com o CMN quase a completar 20 anos de existência, este evento, que é um dos pontos altos das actividades sociais, foi de balanço.
O presidente da direcção, Nelson Cadavez, no seu discurso deu conta da impressionante dimensão associativa, níveis de notoriedade e de excelência organizativa amplamente reconhecidos e que se julgavam inatingíveis, a par de um contributo indelével ao desenvolvimento sustentável da Caça Maior que foram alcançados neste último mandato.
Realçou ainda a vitalidade sem precedentes, a sua participação activa em todos os domínios e com provas dadas, que outorgam ao CMN méritos e direitos que não lhe podem ser negados, demarcando-se da cristalização e envelhecimento que caracteriza o sector.
Os projectos futuros da nova direcção foram também destacados pelo presidente. “Além de consolidar a obra até aqui realizada, vamos este ano dar início ao processo de implementação e certificação da Rota da Montaria Transmontana e Duriense e reformar o CMN numa entidade de âmbito nacional”.
São também objectivos do CMN fomentar e impulsionar a profissionalização do sector da caça em Portugal que se afigura como um dos eixos estratégicos para o futuro a par da necessidade de rever a regulamentação das Organizações do Sector da Caça, conferindo-lhe justiça, rigor e transparência, promovendo o seu reconhecimento com base em provas reais de representatividade.
Presente no evento, e como tem sido habitual, esteve o eurodeputado Nuno Melo que salientou a necessidade de união do sector da caça para combater os movimentos “animalistas” que têm vindo a ganhar destaque no panorama político nacional. “Ninguém gosta mais dos animais que os caçadores. É necessário que a classe política entenda isso o mais rapidamente possível para acabar com as pressões no sector que é tão importante para o mundo rural e ordenamento do território”, afirma.
A presidente da Câmara Municipal de Mirandela, Júlia Rodrigues, frisou a disponibilidade do município em contribuir para o desenvolvimento do sector na região juntamente com CMN e salientou que só a união pode dar a vitória a esta luta de afirmação.
O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas esteve representado pelo seu presidente do Conselho Directivo, Rogério Rodrigues, demonstrou a felicidade de acompanhar as actividades do CMN e salientou que a caça não é de todo opositora da conservação da natureza. “Desenganem-se todos aqueles que pensam que o sector cinegético é opositor da conservação da natureza, dos recursos naturais e da coesão que tanto necessitamos para o território”, afincou, acrescentando que graças ao mérito do trabalho dos caçadores começa-se a ver resolvidas algumas questões que a administração não resolveria sozinha.
A representar a Confederação Nacional dos Caçadores Portugueses, Castanheira Pinto, que saudou também a nova direcção e fez votos de continuação de um bom trabalho.

Prémios CMN

Com a atribuição destes prémios, o CMN pretende distinguir anualmente, um Monteiro, uma Zona de Caça e uma Matilha de Caça.
O Monteiro do Ano foi Paulo Valbom de Mirandela, a Zona de Caça distinguida foi Agrobom (Alfândega da Fé) e o prémio de Matilha do Ano foi entregue à matilha Navalheira de Mogadouro.
Pelo terceiro ano consecutivo, foi também entregue o prémio de Mérito CMN destinado a distinguir uma personalidade ou entidade pelo seu relevante contributo para a promoção e desenvolvimento da caça maior e da conservação da vida selvagem. Este ano foram entregues dois: um à personalidade e outro à entidade. Foi distinguido o Canal Caza y Pesca e a personalidade escolhida foi o seu ex-director, Juan Delibes.
A nova direcção do CMN quis também neste evento prestar homenagem aos membros da antiga direcção, entregando-lhe uma salva de prata ao ex-vice presidente Rui Cepeda e aos ex-directores Frederico Teixeira, Francisco Bártolo Paulo Vilares e Serafim Claro.
O vice-presidente do CMN, António Coelho, entregou ainda uma medalha ao matilheiro Alfredo Lopes em forma de homenagem pelo trabalho e dedicação em prol da caça e a matilhas.
Mais uma vez, no âmbito deste Jantar, o CMN abraçou uma causa humanitária, apoiando a HELPO, que consistiu numa campanha de recolha de donativos e um leilão de uma colecção de garrafas de vinho, cujo dinheiro foi entregue a esta associação.
O ambiente foi de grande convívio entre amantes da caça, familiares e amigos.

Comentários