CMN leva mais de duas centenas de caçadores do Norte à EXPOCAÇA

Capa_expocaça

Capa_expocaça
Na visita à maior e mais antiga Feira Nacional de Caça, onde o CMN marcou presença com um stand, os participantes tiveram oportunidade de assistir a várias demonstrações ligadas ao sector e a uma sessão de esclarecimento para matilheiros.
Na sessão foi debatido um conjunto de problemas que a caça maior enfrenta. Um dos assuntos mais debatidos foi a posição do partido político Pessoas – Animais – Natureza (PAN). O CMN tem uma posição reforçada no que diz respeito à defesa de interesses que ultimamente têm sido ameaçados pelo PAN que defende de forma “surrealista” a proibição da caça de uma forma geral.
O CMN, juntamente com parceiros de uma plataforma, tem defendido e tem demonstrado tecnicamente que as propostas desse partido político não são razoáveis e comprometem o desenvolvimento do mundo rural. Para o presidente do Clube, Nelson Cadavez, são extremamente negativas, pois, entende que estão a “acicatar ódios entre populações urbanas e rurais. Estas atitudes estão a criar uma clivagem clara na sociedade portuguesa”.
Outro assunto debatido foi o uso indevido das redes sociais principalmente no que concerne à exposição de fotografias que não dignificam os animais selvagens. “Nós temos obrigação que temos de cuidar da imagem do caçador. Há fotografias e vídeos que não podem ser divulgados porque as pessoas que os vão ver não os entendem. Temos obrigações e deveres morais e éticos, temos de dar ao animal uma morte rápida e limpa por forma a honrar o estatuto dos animais”, referiu Nelson Cadavez, acrescentado que os caçadores devem cumprir regras disciplinares quanto à execução e exposição das fotografias.
O dia da excursão à EXPOCAÇA, Sábado dia 6 de Maio, ficou marcado por muito convívio e troca de experiências.
A EXPOCAÇA é um dos certames mais antigos e importantes do sector, sendo um local único onde profissionais e entusiastas da caça se encontram num só local.

Comentários